Pólis

arquivos
eu
meus outros blogs
também aqui
blogs bacanas


quarta-feira, julho 31, 2002  

E o Timor entrou pro time dos países cujo idioma oficial é o português. Devido à invasão indonésia, que durou 24 anos (tempo durante o qual o nosso idioma era proibido no país), hoje apenas 15 por cento da população falam português. Durante um encontro com FHC em Brasília na segunda-feira, o presidente do Timor, Xanana Gusmão, pediu a ajuda do Brasil para ajudar a alfabetizar os timorenses. O resto da notícia você pode ler aqui.

escrito por Fabio Fernandes | 7/31/2002 05:42:00 da tarde
 

Matéria nova no Webinsider. Há uma semana postei aqui que estava terminando de ler Deuses Americanos, o mais recente livro do mestre dos quadrinhos Neil Gaiman a ser publicado em terra brasilis. Vários amigos me pediram para postar detalhes. Fiz melhor: escrevi uma resenha para o Webinsider. Confiram aqui, mas estejam avisados: gostei bastante.

E hoje começa meu mestrado. Wish me luck!

escrito por Fabio Fernandes | 7/31/2002 09:24:00 da manhã


terça-feira, julho 30, 2002  

Back to Sampa. Falando em Pat Metheny: ô, Ricardo, comenta aí no Discoteca Básica algum álbum do homem! Tá valendo qualquer um, menos o As Wichita Falls, so Falls Wichita Falls, com Lyle Mays, que esse é meia-boca. Se bem que o meia-boca de Pat Metheny está muito acima da média da maioria de praticamente qualquer coisa que se ouve hoje nas rádios, claro.

E se der pra falar de algo do Jaco Pastorius também seria uma boa!

escrito por Fabio Fernandes | 7/30/2002 09:45:00 da tarde
 

Sessão nostalgia. Madrugada, trabalhando longe de casa. Ouvindo Lô Borges e Pat Metheny no Winamp. Saudades dos anos oitenta. Vontade de estar com você em Ouro Preto, Aurora.

escrito por Fabio Fernandes | 7/30/2002 12:33:00 da manhã


segunda-feira, julho 29, 2002  

Sujeira no Ventilador. Fiquei sabendo, através de meu amigo, o jornalista e escritor Carlos Orsi Martinho (que precisa voltar a postar em seu blog, o Gendarmeria Galáctica), da existência do blog O Ventilador. Editado por Lúcio Torquato, jornalista baseado em Jundiaí, São Paulo, este weblog sofreu efetivamente o que no caso do Canaimé (vide post logo abaixo) ainda está em nível de ameaça: no dia 5 de julho, o computador de Lúcio foi apreendido porque ele teria, através de seu blog, criticado um político local.

Os blogs estão ficando mais importantes do que se pensa.

escrito por Fabio Fernandes | 7/29/2002 08:44:00 da tarde
 

Canaimé, um blog de coragem. Eles são de Roraima, e criaram um blog que está dando o que falar. Trata-se do Canaimé, editado por um coletivo de estudantes de jornalismo daquele estado que transmite para o Brasil a voz do jornalismo de Roraima. E já estariam sendo submetidos à vigilância e tentativa de censura (leiam o post "Falta de Informação", do dia 27 de julho.) Dica preciosíssima dada pelo Raphael Perret, que recebeu o toque do Claudio Cordovil.

escrito por Fabio Fernandes | 7/29/2002 12:22:00 da tarde
 

Dica de Leitura. Acabei de comprar e devorar o livro Em Busca de Novo Modelo - Reflexões sobre a crise contemporânea, de Celso Furtado (Paz e Terra). Fundamental para quem quer entender um pouco tudo por que passamos nestes oito anos de governo Fernando Henrique - e de resto, desde que o Brasil iniciou o seu processo de modernização, logo após a segunda guerra. Mas o bom mesmo é O Mito do Desenvolvimento Econômico, que a Paz e Terra lançou em formato de bolso. Resumindo muito mal e porcamente, Celso Furtado explica que modernização (o que vem acontecendo com a gente desde o governo Vargas) não é desenvolvimento. Querem entender mais? Comprem urgente. O primeiro está à venda por 14 reais, e o segundo não custa nem 5. Um preço muito mais barato que o que a gente vem pagando, por exemplo, com a CPMF - que até hoje não deu pra entender a que veio.

escrito por Fabio Fernandes | 7/29/2002 10:07:00 da manhã
 

Mundo Bizarro. Para os fãs do Super-Homem da Era de Prata (décadas de 1950-60, aproximadamente), um blog bem bacana... ou seria bizarro? É o Contos do Mundo Bizarro, criado recentissimamente (não tem nem uma semana) pelo Senior. Na verdade, a homenagem está apenas no template, simples mas bem sacado. Bateu nostalgia. Abraço, Senior!

PS: a dica é do Leite de Pato!

escrito por Fabio Fernandes | 7/29/2002 09:59:00 da manhã


sexta-feira, julho 26, 2002  

Tudo é reality. Este é o título de um excelente artigo da antropóloga e professora da USP Esther Hamburguer, sobre os limites entre ficção e notícia, na revista Trópico.

Enquanto isso, no nosso reality show chamado Brasil, o dólar chega a R$3,02. Durma-se com um barulho desses.

E eu - quem diria - estou entre os Top3 da semana no site Top Blogs. O blog foi criado pela Maria Berger, autora do ótimo Segredos de uma Agência de Publicidade. Ainda não consegui entender qual o critério de votação - se é a própria Maria que vota nos blogs de que mais gosta ou se a votação é aberta. De qualquer maneira, é uma honra e agradeço penhorado!

escrito por Fabio Fernandes | 7/26/2002 02:24:00 da tarde
 

Não se fala mais no assunto. Agora há pouco, graças aos toques camaradas da Paula e do Alexandre, descobri que a pessoa de quem a Tchela falava no post abaixo era a Elis Monteiro, autora do Par Elis. Elis respondeu ontem a esse post se defendendo (confiram aqui), ainda que de forma bastante revoltada - assim como várias pessoas que tomaram o partido dela.

Enfim, parece que tudo não passou de um imenso mal-entendido. Mas as reações exacerbadas de amigos de uma e amigos de outra (não sei se posso ser incluído na confusão, mas devo confessar que reproduzi o post da Tchela por me identificar com ela - tenho vários amigos deficientes) mostraram mais uma vez que o mundinho blogueiro é realmente isso: um mundinho. Com coisas muito legais, mas também com os mesmos comportamentos mesquinhos e agressivos do dito mundo real.

Quando eu, ao "matar" o Lanceiro Livre, resolvi falar que o mundinho blogueiro é realmente só um mundinho, fui rechaçado por muita gente que se disse decepcionada comigo. Olhem aí os fatos que não me deixam mentir.

Realmente cada um diz o que quer nos blogs; censura é algo inadmissível e sou totalmente contra. Afinal, o bom dos blogs é essa diversidade. Mas não nego que, quando a coisa descamba para troca de ofensas, grosserias e quetais, fico triste.

Estou acreditando cada vez menos na convivência amigável entre as pessoas.

escrito por Fabio Fernandes | 7/26/2002 09:29:00 da manhã


quinta-feira, julho 25, 2002  

Perguntinha inocente. Segundo esta matéria, o estado do Rio vai gastar 500 mil reais mensais de aluguel com um dirigível que, diz a Secretaria de Segurança, vai ajudar a polícia no combate ao crime na cidade.

Mas será que esse dinheiro não seria melhor gasto simplesmente aumentando o efetivo policial?


Pra não dizerem que não falo de política. E o dólar, que fechou a quase 3 reais, hein?

escrito por Fabio Fernandes | 7/25/2002 05:40:00 da tarde
 

Postar com responsabilidade. Este é o nome de um post que está dando o que falar, escrito pela Tchela, do ótimo blog Maré. A Tchela é deficiente física; não faz alarde disso mas também não se envergonha (e nem teria por quê). O post dela, que tomo a liberdade de transcrever abaixo, é um alerta sobre ética no jornalismo - para blogs ou não.


Tenho a mania de, através de links em blogs amigos, pular para outros blogs, tentando crescer mais, conhecer pessoas interessantes, diferentes. Ontem, agindo asim, cheguei a um determinado blog, que não citarei nem linkarei aqui, pois não me interessa fazê-lo. Estava eu lendo os posts nesse tal blog quando leio um determinado, escrito num tom irônico, que dizia algo assim "(...)seria muito lindo eu entrando num avião numa cadeira de rodas. Depois de passar minha vergonha explico melhor os motivos de minha invalidez temporária"

Aquelas palavras debochadas se referindo ao fato de estar impossibilitada de andar temporariamente como "invalidez' e ainda considerar que se locomover em lugares públicos usando uma cadeira de rodas seria motivo de ridicularização, me irritaram profundamente! Não deu prá evitar, deixei um comment lá com meu recado e minha indignação pela pobreza de espírito dessa tal pessoa que, sendo uma repórter e tendo um número grande de visitantes, deveria pensar melhor antes de escrever palavras preconceituosas. Será que essa pessoa considera, por exemplo, o Marcelo Rubens Paiva um inválido por ser tetraplégico e usuário de cadeira de rodas? Ou , talvez, ache que ele devesse evitar lugares públicos, deixar de viajar em aviões, para não correr o risco de ser tomado como ridículo se mostrar em público em tal condição física?

Esse tal post dessa tal pessoa me fez refletir sobre a responsabilidade de se postar.

No meu primeiro mês como blogueira, em maio, tive dúvidas quanto a postar ou não sobre minha tristeza relativa a condição de saúde de minha vó (ela tem 92 anos e depois de um derrame em fevereiro já não pode mais andar nem falar). Consultei um amigo, mais experiente nesse mundo blogueiro, e ele me disse "escreva! blog a gente escreve prá gente , não para outros." Aceitei o conselho e postei sobre minha vó. No mesmo dia, um amigo muito amado veio me dizer que não gostou do que escrevi, que meu post o deprimiu. Foi então que me dei conta de que engana-se quem acha que podemos postar o que bem entendemos, porque isso aqui é feito somente para nós mesmos. Blog não é como o tradicional diário de papel, onde quem escreve sabe que não precisa medir palavras por ser algo particular e confidencial, alguns diários têm até cadeado. Blog é público, da forma mais mais pública que poderia ser, pois, estando na Net, todos os tipos de pessoas podem acessá-lo, lendo-o abservando-o e, muitas vezes, absorvendo nossas letras.

Andam dizendo que blog é a imprensa do futuro. Pois, minha opinião é que, uma vez que estamos na mídia, seja qual for nosso abjetivo, temos sim que nos responsabilizarmos e nos preocuparmos com o que escrevemos, pois palavras escritas são tão poderosas quanto as ditas ou as mal ditas, podem ferir, interferir, formar opiniões.

escrito por Fabio Fernandes | 7/25/2002 11:43:00 da manhã
 

Olha eu na fita! Para quem quer saber como se parece este humilde escriba, é só dar um pulo no Epinion, onde a Paula colocou as fotos do nosso encontro. Eu apareço em duas: trocando uma idéia com o grande Alex Antunes e disfarçando um ataque iminente a uma tigela cheia de sedutores brownies (eles perderam e minha dieta também). Ah, na primeira eu apareço abraçado a Julia Roberts e Sandra Bullock. Provavelmente este será um dos meus últimos posts, porque no instante em que minha digníssima colocar os olhos sobre essa foto, este que vos fala irá comer capim pela raiz (ela sabe que eu sou louco pela Julia Roberts)!

escrito por Fabio Fernandes | 7/25/2002 11:38:00 da manhã


quarta-feira, julho 24, 2002  

Alguém me ajuda a fazer um template legal para este blog? Cartas para a redação.

escrito por Fabio Fernandes | 7/24/2002 01:44:00 da tarde


terça-feira, julho 23, 2002  

Novos vizinhos. Tem gente nova na área: o site Jornalistas da Web criou um blog coletivo, capitaneado por Raphael Perret (do ótimo Tá na Tela), Paulo Rebêlo, meu colega de Webinsider, e pelo editor do site, Mario Lima Cavalcanti. Outro site interessante com boas dicas sobre jornalismo que se faz na Web é o Jornalismo Online, da Lorena Tarcia. Como diz meu amigo e irmão Jorge Rocha, da revista digital [Mão Única?], o império se expande. Repito, sem corporativismo, mas porque também somos filhos de Deus.

Ah, e em breve a nova edição da [Mão Única?]. Com blog e tudo.

escrito por Fabio Fernandes | 7/23/2002 07:08:00 da tarde


segunda-feira, julho 22, 2002  

Seu mestre mandou avisar. A Maira Parula, autora de um blog recente muito bonito e delicado, o Prosa Caótica, mudou de URL. Ela agora está no Weblogger, mas os posts antigos continuam aqui.

escrito por Fabio Fernandes | 7/22/2002 11:21:00 da manhã
 

Eu e minha Groupie. Eu estava devendo essa há uma semana, mas a viagem ao Rio não me deixou muito tempo para atualizar o Pólis. O que é uma vergonha, porque eventos que marcam a gente não podem passar em branco.

Foi o caso do meu primeiro encontro live com blogueiros – a Paula e a Juliana. Com a Juliana eu nunca havia me correspondido (embora tenha recebido uma dica valiosa dela, quando pedi ajuda para colocar um sistema de comentários neste blog), mas com a Paula Foschia a história é outra. Nós nos correspondemos por e-mail há meses, ela sempre simpaticíssima, fazendo comentários sobre o Lanceiro Livre, e eu retribuindo na medida das minhas possibilidades amnésicas, elogiando o Epinion e em particular o amor que ela tem pelos livros, característica que temos em comum.

Pois não é que a Paula um belo dia anuncia que está vindo pra Sampa e convoca os amigos blogueiros para um papo? Respondi na hora, dizendo que se ela quisesse poderia ciceroneá-la num tour de sebos. Ela topou. Junto com a gente iriam o Alex Antunes, autor de A Estratégia de Lilith, e a Juliana, do Texto Livre. Do meu lado iriam a minha mulher e um grande amigo de Campos, o Jorge Rocha, que estaria de passagem por terras paulistanas exatamente naquele fim de semana. Infelizmente o meu lado ficou desfalcado. Um problema de saúde na família reteve o Jorge em Campos e uma pendência de trabalho fez com que minha mulher tivesse de ficar em casa ralando.

Mas o lado da Paula veio completo, com Alex, Juliana e uma amiga não-blogueira da Juliana. Fomos tomar um café e partimos para um sebo ótimo perto do Hospital das Clínicas. Como a própria Paula já falou, nunca convite um rato de sebo para um tour: a gente acaba ficando no primeiro mesmo, cavucando num trabalho alucinado de arqueologia literária – mas que vale a pena: Paula levou, entre outros, O Silêncio da Chuva, de Luiz Alfredo Garcia-Roza e Não Há Nada Lá, do Joca Reiners Terron. Eu achei outro exemplar do livro do Joca e um clássico da ficção científica da década de 1930, After Worlds Collide, de Philip Wylie e Edwin Balmer.

Mas o que valeu mesmo foi o papo. A Juliana estava mais quietinha, mas se revelou uma pessoa muito inteligente e divertida. O Alex falou pouco durante a caça aos livros, mas depois, num bar na Rua Augusta, onde fomos tomar a cervejinha de lei, ele nos brindou com insights poderosos sobre xamanismo e marxismo, que (talvez não por coincidência) são dois de meus interesses. A Paula foi a atração da tarde: simpática, engraçada, inteligente, sem afetação, verdadeira: como é legal conhecer pessoas assim. O resto da semana não foi muito generoso para mim, mas papai do céu me deu uma colher de chá no sábado, 13 de julho. Espero que, como no final de Casablanca, este seja o começo de uma grande amizade. Valeu!

escrito por Fabio Fernandes | 7/22/2002 11:16:00 da manhã


domingo, julho 21, 2002  

Eu tô voltando. Volto para São Paulo hoje. Aguardem novidades para amanhã.

escrito por Fabio Fernandes | 7/21/2002 09:22:00 da manhã


quinta-feira, julho 18, 2002  

Aqui tem.

Tem política. Tem tecnologia.

Mas não só.

Também tem cultura, jornalismo, comunicação, comentários dos amigos, informação, conhecimento. Tudo transmitido com tesão.


Sabem por quê? Porque a vida é muito curta para ser pequena. Essa frase, que é pequena mas é profunda, eu peguei emprestado, com todo respeito, do Henfil. Que, aliás, era um puta jornalista mas não só. Também era gente, e finíssima.

escrito por Fabio Fernandes | 7/18/2002 10:46:00 da tarde


quarta-feira, julho 17, 2002  

Letra Digital. Era para ter comentado isso há uma semana, mas simplesmente deu branco. Compenso agora: confiram a ótima revista eletrônica Letra Digital, voltada para estudantes e profissionais de jornalismo. De cara, duas matérias simpáticas sobre jornalismo para rádio e TV, assinadas respectivamente por Milton Jung e Fernanda Danelon. Promete.

escrito por Fabio Fernandes | 7/17/2002 11:02:00 da manhã


terça-feira, julho 16, 2002  

Livros Recebidos? Pois não: Deuses Americanos, de Neil Gaiman (Conrad Editora) e Cartas de C.G.Jung, Volume II (Editora Vozes). Mais detalhes nos próximos dias. Obrigado ao Alexandre, da Conrad, e à Carla, da Vozes.

escrito por Fabio Fernandes | 7/16/2002 07:20:00 da tarde
 

Separando livros no meu antigo apartamento para vender. Com incenso de cânfora, que acalma e fortifica. Recomendo.

escrito por Fabio Fernandes | 7/16/2002 07:15:00 da tarde
 

Ainda sobre os Jedi. Falando nos nobres cavaleiros de sabre de luz, uma boa pedida é este artigo do muçulmano Hesham A. Hassaballa, que compara os Jedi aos místicos sufi.

O negócio é tão sério que lá em casa estamos pensando em nos converter ao jedaísmo. ;-)

escrito por Fabio Fernandes | 7/16/2002 11:12:00 da manhã
 

Cansaço profundo. Isto, aliado à quantidade de trabalho, deverá atrapalhar os posts dos próximos dias. Mas me aguardem que eu volto.

Enquanto isso, que tipo de Jedi você é? Eu e minha digníssima fizemos o teste que pode ser encontrado nesta página: eu sou um humilde padawan, mas em compensação ela está no mesmo nível do Yoda! Medo terei... :-)

escrito por Fabio Fernandes | 7/16/2002 11:08:00 da manhã


segunda-feira, julho 15, 2002  

É sal, é sol, é sul. Estou no Rio de Janeiro a trabalho - mas também para visitar a família e os amigos. Há muito o que contar sobre os dias de ausência bloguética - sites bacanas, livros recebidos e um encontro para ficar na história entre este que vos digita, a Paula Foschia, a Juliana e o Alex Antunes. Aguardem que eu já conto tudo.

escrito por Fabio Fernandes | 7/15/2002 06:22:00 da tarde


quinta-feira, julho 11, 2002  

Deu na home do Blogger mas reproduzo aqui o trecho de uma matéria da colunista do The Wall Street Journal Peggy Noonan sobre tudo o que há de bom nos Estados Unidos:
The 24-7 opinion sites that offer free speech at its straightest, truest, wildest, most uncensored, most thoughtful, most strange. Thousands of independent information entrepreneurs are informing, arguing, adding information. Imagine if we'd had them in 1776: "As I wrote in yesterday's lead item on SamAdams.com, my well meaning cousin John continues his grammatical nitpicking with Jefferson (link requires registration) 'Inalienable,' 'unalienable,' whatever. Boys, let's fight. Start the war." Blogs may one hard day become clearinghouses for civil support and information when other lines, under new pressure, break down.


A matéria de Ms. Noonan é bastante ufanista. Mas what the hell, os EUA são o país dela, e ela tem todo o direito de expressar seu amor pela pátria. E nós, os brasileiros?

Por exemplo, fico aqui pensando: e se tivéssemos tido blogs em 1964? Hein? Será que os militares teriam tomado o poder? Ou teríamos nos unidos numa verdadeira corrente pra frente contra o autoritarismo? Jamais saberemos, pois é impossível mudar o passado. Mas o futuro, todos nós podemos mudar.

E vocês, o que acham?

escrito por Fabio Fernandes | 7/11/2002 06:49:00 da tarde


quarta-feira, julho 10, 2002  

Livros, livros e mais livros. Dicas de leituras interessantes? Você veio ao lugar certo. Confira:


A Mulher de Pedra, de Tariq Ali (Record) - Você quer conhecer a cultura islâmica sem precisar assistir a documentários ou ler obras de referência? Os livros de Tariq Ali foram feitos sob medida para isso: esse escritor paquistanês - que esteve no Brasil recentemente para lançar seu mais recente livro, Confronto de Fundamentalismos e concedeu uma entrevista exclusiva para este Lanceiro, a ser publicada em breve na revista [Mão Única?] - está escrevendo uma pentalogia (série de cinco livros) passados em diferentes épocas da civilização islâmica. Até agora foram publicados três: os dois primeiros são A Sombra das Romãzeiras, ambientado na Espanha do final do século XV, e O Livro de Saladino, que se passa no final do século XII, época do Sultão Salah Al-Din, mais conhecido pelos ocidentais como Saladino. A Mulher de Pedra se passa na Turquia de 1899, no momento em que o Império Otomano se esfacela. Os livros de Tariq Ali quase sempre mostram a vida de famílias inteiras vivendo em tempos de transição, descrevendo como elas vêem o mundo ao seu redor: quase sempre com melancolia pelo presente e uma incurável nostalgia pelo passado. Mas engana-se quem pensa que ele escreve apenas romances históricos: esses três livros são bem mais que isso. São o retrato de uma civilização praticamente desconhecida dos ocidentais até hoje. Uma civilização que nos legou grandes avanços na matemática, na medicina e na astronomia, entre outras ciências, e que hoje é tão massacrada - tanto pelos ocidentais quanto pelos mulás fundamentalistas.


O Grau Zero da Escritura, de Roland Barthes (Cultrix) - Sabe-se que a língua é um corpo de prescrições e de hábitos, comum a todos os escritores de uma época. Isso quer dizer que a língua é como uma Natureza que passa inteiramente através da fala do escritor, sem contudo dar-lhe forma alguma e nem sequer alimentá-la: é como um círculo abstrato de verdades, fora do qual - e somente fora dele - começa a depositar-se a densidade de um verbo solitário. Assim Barthes começa o seu primeiro livros, lançado em 1953. É preciso dizer mais? Sim, é preciso: um marco na teoria literária, este livro dá a sua contribuição para o debate em torno das formas e dos estilos literários com a seguinte tese: nenhuma escrita (ou escritura, como ele prefere chamar) é neutra. Todo escritor se vale da língua para impregná-la de sentido conforme suas convicções e crenças. Mas Barthes aponta uma tendência de "neutralização" da língua nos livros de Albert Camus e Raymond Queneau, que à sua maneira re-criaram o idioma francês: Camus, de uma forma Hemingwayana, ou seja, sucinto, quase telegráfico, sem rococós nem enfeites, e Queneau, inspirador e criador do OuLiPo (Atelier de Literatura Potencial, que tinha como membros, entre outros, Georges Perec e Ítalo Calvino), que gostava de desconstruir o idioma - seus Exercícios de Estilo, publicados há alguns anos pela Editora Imago, são leitura obrigatória para quem gosta de um bom conteúdo envolto em uma bela forma.

Enfim, todos esses livros valem a pena, se a alma não for pequena (e se as estantes e os bolsos forem generosos o bastante). Boas leituras.

escrito por Fabio Fernandes | 7/10/2002 04:07:00 da tarde
 

Quer ficar por dentro das últimas deste blog? Cadastre-se na coluna da direita para receber avisos diários de atualizações pelo Bloglet.

escrito por Fabio Fernandes | 7/10/2002 03:41:00 da tarde
 

Post bilíngüe. Os amigos e leitores habituais deste blog hão de me perdoar, mas este post vai em duas vias, ou melhor, em duas línguas. É para avisar ao Matt Brown, da Macromedia, que as correções que ele pediu já foram implementadas neste artigo que o Webinsider acaba de publicar. Taí como você pediu, Matt! Continue com o trabalho legal que você tem feito aí no seu blog!

Bilingual post. My friends and usual readers of this blog, please forgive me, but I'm posting right now in two languages. It's just to tell Matt Brown, from Macromedia, that the corrections he asked to be done in my article for Webinsider have already been implemented in this new article. Here you are, Matt! Keep up the good job!

escrito por Fabio Fernandes | 7/10/2002 12:34:00 da manhã


terça-feira, julho 09, 2002  

Hoje é feriado em São Paulo devido à comemoração dos setenta anos da Revolução Constitucionalista. Se você quer saber exatamente o que foi esse movimento, é só entrar no site oficial da Sociedade Veteranos de 32, e ficar de olho no documentário que a TV Cultura irá exibir no próximo sábado, às 21h, com direção de Laís Bodanzky, de Bicho de Sete Cabeças.

escrito por Fabio Fernandes | 7/09/2002 03:50:00 da tarde


segunda-feira, julho 08, 2002  

Blogchalking. Eu estou usando. Para saber o que é, dê um pulo aqui. Cortesia do espertíssimo Daniel Pádua.

escrito por Fabio Fernandes | 7/08/2002 08:13:00 da tarde
 

O que é a velocidade... Nem bem meu artigo sobre os blogs da Macromedia saiu no Webinsider, e um dos blogueiros citados, Matt Brown, me enviou um e-mail para fazer algumas correções. Em breve, artigo no Webinsider a respeito, mas aqui eu já conserto um erro: o weblog de John Dowdell, que eu havia dito ser um blog pessoal com comentários esporádicos sobre produtos Macromedia, é blog oficial da casa mesmo. Aliás, segundo Matt Brown, foi Dowdell quem primeiro sugeriu a idéia de blogs da empresa e foi o primeiro a criar um. O bom da Internet é a facilidade de corrigir os erros. ;-)

escrito por Fabio Fernandes | 7/08/2002 04:11:00 da tarde
 

Eu quero ser reconhecido. Calma, não se trata de nenhum pedido para possíveis (porém improváveis) fãs. Trata-se de um texto muito, mas muito bom mesmo do Mário Prata sobre a profissão de escritor. Só para dar uma água na boca, dou uma palhinha abaixo:


O que eu quero, meu presidente, é que antes de o senhor deixar o governo, me reconheça como escritor. Não apenas eu. O Verissimo, o Ubaldo, o Loyola, o Mateus, o Jorge Amado, o Machado de Assis, também estão na mesma situação minha. Como está o meu filho Antonio. Resumindo, meu caro: não existe a profissão de escritor no Brasil. Vou repetir: não existe.

O resto pode ser lido aqui.

escrito por Fabio Fernandes | 7/08/2002 02:35:00 da tarde
 

Tem artigo novo de minha autoria no Webinsider. É sobre os recém-criados blogs da Macromedia e sua relação com o mundo blogueiro. On a different note, confiram o excelente artigo de Sérgio Kulpas sobre a AllTV. Eu li o texto e fui conferir a emissora, que é uma grande sacada. Vale a pena.

Hoje é dia da Cultura e da Ciência. E viva nós!

escrito por Fabio Fernandes | 7/08/2002 10:40:00 da manhã


domingo, julho 07, 2002  

Nas bancas, a edição número 2 da Scientific American Brasil, com reportagens sobre a relação entre autismo e genialidade, a origem e a evolução das galáxias e as últimas tribos de índios isolados do Brasil. Esta matéria me chamou a atenção por dois números surpreendentes. O primeiro número é 41: são 41 grupos de índios arredios na região da Amazônia Legal, que aos poucos vão sendo contatados pela FUNAI. O segundo número? São 180 línguas indígenas que ainda sobrevivem em território nacional. Embora sejam apenas 15 por cento do que se falava por aqui em 1500, ainda é um número impressionante se levarmos em conta o descaso e os maus tratos aos índios.

Há cerca de dois anos, trocando e-mails com um conhecido norte-americano sobre os 500 anos de Brasil, pude ter um (triste) vislumbre de como funciona a cabeça do americano médio. Para ele (morador do Meio-Oeste americano, que vota nos republicanos e é - talvez não por acaso - agente do FBI), não existem nativos americanos, pois na verdade os próprios índios ocuparam o território americano vindos de outra região, e por isso não teriam direito a reclamar de sua condição atual. Na verdade, segundo esse conhecido, os índios são fracos e covardes, e se hoje vivem bebendo e se suicidando nas reservas indígenas dos Estados Unidos, é porque não têm força nem coragem de lutar por uma vida melhor, que, ele jura, pode ser conseguida por qualquer americano que se esforce o bastante.

É a conhecida hipótese neoliberal, sobre a qual eu já havia comentado há tempos no Lanceiro Livre. Segundo os neoliberais, as oportunidades são iguais para todos, e quem não as aproveita é porque não quer. Não é difícil derrubar esse mito: basta observar que quem nasce numa favela não tem a mesma oportunidade de ascensão social do que quem nasceu num bairro nobre de uma grande capital. Muitas vezes não tem sequer a formação óssea ou vitamínica, conseqüência de uma boa alimentação, necessária para reter na memória conhecimentos adquiridos na escola ou tentar uma atividade esportiva, por exemplo. E, se você nasceu negro, ainda não tem oportunidades iguais fora do circuito de escolas públicas. Quanto aos índios...

Quando foi a última vez em que você viu um índio ao seu lado na escola? Ou na rua?

Pois é.

escrito por Fabio Fernandes | 7/07/2002 01:29:00 da tarde


sábado, julho 06, 2002  

Alguns probleminhas com o Bloglet estavam impedindo as pessoas de se cadastrarem para receber os avisos de atualização deste blog. Agora já está tudo resolvido: basta usar a caixa da coluna da direita que desta vez não vai dar pau. E sejam bem-vindos!

escrito por Fabio Fernandes | 7/06/2002 10:01:00 da manhã


sexta-feira, julho 05, 2002  

Um oásis de tranqüilidade na blogsfera. É o Mosteiro Virtual, com parábolas zen-budistas e pequenas observações sobre meditação. Me fez lembrar os tempos em que eu meditava no tempo Theravada em Santa Teresa, no Rio de Janeiro. De quebra, o blog-mosteiro traz uma relação de links de templos e mosteiros Brasil afora. Para quem quer se soltar, esse é o cais.

escrito por Fabio Fernandes | 7/05/2002 05:09:00 da tarde
 

Renoir no MASP. Se por um lado, a vida de frila é sacrificada (da mão para a boca, como costuma dizer sabiamente meu amigo Bráulio Tavares), por outro ela permite uma folga no meio de semana, como a que tirei na quarta-feira passada com minha mulher para ver a exposição Renoir, o Pintor da Vida. Uma bela exposição organizada pelo MASP, com pinturas, gravuras e as pouco conhecidas esculturas de Pierre-Auguste Renoir (para quem é cinéfilo, vale lembrar que ele era pai do cineasta Jean Renoir).
O quadro que mais me impressionou foi Remadores em Chatou, de 1879, que você pode admirar aqui.

escrito por Fabio Fernandes | 7/05/2002 04:08:00 da tarde
 

Como não dirigir. Uma página muito engraçada sobre o que não se deve fazer em hipótese alguma no trânsito.

escrito por Fabio Fernandes | 7/05/2002 03:45:00 da tarde


quinta-feira, julho 04, 2002  

Os ingleses estão chegando com o que parece ser um livro muito abrangente e interessante sobre Jornalismo Online. Escrito por Mike Ward, professor de Jornalismo por 15 anos e consultor do Broadcast Journalism Training Council, o livro Journalism Online - creating effective web content oferece dicas sobre técnicas de multimídia e métodos de pesquisa online, construção de matérias e regras de como escrever para a Web, e ensina até mesmo HTML básico e fundamentos de webdesign.
Está faltando um desses para o público brasileiro.

Ah, a dica é do António Granado.

escrito por Fabio Fernandes | 7/04/2002 07:02:00 da tarde
 

Mapeando os blogs de São Paulo. A iniciativa é do Mario AV, inspirada num bem-sacado mapa dos blogs de Nova York, que você pode ver aqui. Basta mandar o endereço de seu blog para ele, ou, nas palavras do próprio: a URL do seu blog acompanhada do ponto geográfico de onde bloga - um endereço aproximado, tipo: "rua Cubatão, perto do viaduto da 23 de Maio, no Paraíso". Não é necessária informação mais exata do que isso, mesmo por razões de segurança. Dica do Edney.

escrito por Fabio Fernandes | 7/04/2002 06:51:00 da tarde


quarta-feira, julho 03, 2002  

Um interessante código de ética. O gaúcho Hefestus, do weblog Vastas Emoções e Pensamentos Imperfeitos, elaborou algumas regrinhas de convivência sob o título Regras para bem viver (ou talvez se incomodar menos). Aqui vão elas:


1. Como regra geral, adote a prática de só falar com as pessoas se elas falarem com você.
1. Se precisar falar com alguém, que seu tom seja polido sem ser servil, simples sem ser rasteiro, educado sem ser formal e leve sem ser simplório.
3. Não deixe que os outros saibam quando você está zangado ou irritado ou nervoso, porque um conhecimento como esse pode ser usado sempre contra você. Suas fraquezas são do seu interesse, e jamais serão relevadas ou esquecidas por quem tiver delas conhecimento.
4. Jamais responda atravessado a alguém que lhe dirigiu a palavra, mesmo para contrapôr uma observação sarcástica ou um dito ofensivo. Se ele mantiver a tranqüilidade, você estará em maus lençóis porque os circundantes vão dar razão a seu oponente mesmo que ele tenha começado tudo, porque uma pessoa que parece mais controlada terá aparentemente a razão frente a um maníaco alucinado.
5. Adote o silêncio. Quem muito fala expoe suas fraquezas, e, como exposto na alínea 3, elas só podem interessar a teus inimigos.
6. Não reclame em voz alta.
7. Você deve ter lido desde os 14 anos uma média de 30, 35 livros por ano. Então aprenda a não usar palavrões e expressões grosseiras para definir as coisas. Leia o dicionário inteiro, se preciso, mas assimile termos que possam abranger uma determinada categoria de objetos sem recorrer aos batidos porras, merdas, caralhos, sacos - o que não significa que você deve abdicar totalmente deles. Saiba apenas dosar o momento em que eles devem ser usados para exprimir um estado raro e específico, mas não banalize a boca suja, sob penaa de não ser levado a sério e ainda ser considerado um sujeito desagradável.
8. Você leu e gostou de uma frase de Pedro Bloch publicada em uma reportagem muito tempo atrás: A verdade não grita. Logo, não projete a voz muito alto. Isso é recurso de quem precisa vencer uma discussão ou persuadir alguém em uma conversa com o auxílio do tom de voz na falta de argumentos sólidos.
9. Não exploda. Você pode sim controlar suas explosões. Evite-as. Conte até dez, cante pra você mesmo a Man who sold the world, ou, dependendo do tamanho da irritação, Stairway to Heaven ou Faroeste Caboclo, faça o que quiser, mas esfrie a cabeça, baixa a bola e fique na sua.


Ainda nas palavras do próprio Hefestus: Não deixa de ser um código interessante. Seria bom para aplicar em uma porção de gente. Acho que o convívio lá fora melhoraria. Assino embaixo.

escrito por Fabio Fernandes | 7/03/2002 10:02:00 da manhã


terça-feira, julho 02, 2002  

Obrigado, Gravatá! Este Lanceiro foi citado hoje na coluna do Gravatá, junto com colegas ilustres como a Ruth, o Ney e a Carolina. Valeu!

escrito por Fabio Fernandes | 7/02/2002 09:03:00 da manhã
 

Weblogs devem ser editados? Quem levanta a lebre é Elisabete Barbosa, do Jornalismo Digital, ao comentar este artigo do jornalista americano JD Lasica. Elisabete acha que não. Tomo a liberdade de citá-la:


Eu acho que não. A vantagem e principal diferença dos weblogs em relação aos media é o facto de não serem editados e não sofrerem qualquer tipo de censura. Seriam versões pessoais e opinativas escritas pelos jornalistas. Estas ferramentas levariam o público a identificar-se ou não com os jornalistas, a procurar ou não as notícias por eles escritas, por outras palavras, a diminuir a fronteira entre os dois lados. Não é jornalismo, é algo complementar, diferente. Se for editado, será apenas mais uma secção do jornal, rádio, televisão ou site noticioso.


Assino embaixo. Trocando e-mails com Claudio Cordovil, do Mordendo os Cães de Guarda, ele me diz que é justamente esse o "punch" dos blogs - a opinião. Pode parecer o óbvio ululante, daqueles de fazer Nelson Rodrigues se revirar na tumba, mas talvez seja desse punch que nós, jornalistas, precisemos para renovar nossos textos. E que lugar melhor do que os blogs?

Aguardem novos artigos a respeito no Webinsider.

escrito por Fabio Fernandes | 7/02/2002 12:53:00 da manhã
 

Tem Blog Novo na Área. É o Tá na Tela, do coleguinha Raphael Perret. Ele promete falar não só de jornalismo, mas de usabilidade e webwriting, entre outras coisas. Raphael começa com o pé direito indicando esta reportagem da BBC News sobre como as mulheres iranianas têm utilizado os blogs para se expressar com mais liberdade. Seja bem-vindo, Raphael!

escrito por Fabio Fernandes | 7/02/2002 12:49:00 da manhã